13 de dez de 2007

Insensatez

Escapa por entre dentes, subtraída de gestos, gostos, restos
deleita-te sozinha em meio ao risco do meu veto.
Amarga, enfim, o negro árido e insensato do teu gosto e
proferida
cala o medo do desejo surdo que te ecoa.

Nenhum comentário: